Escola Biblica

COMPARTILHANDO CONHECIMENTO


250
Data: 2018-06-01
Titulo: As nossas certezas.
Autor: antonio.borges
Mensagem:

O cantor cristão Stênio Marcius compôs uma música sobre um episódio da Bíblia, o qual relata o dialógo entre Pedro e Jesus, quando Cristo pede que os discípulos, depois de passarem a noite inteira pescando sem nenhum sucesso, lançassem as redes ao lago. Pedro, por sua vez, responde a Jesus se justificando que eles ja tinham tentado a mesma coisa a noite inteira. e a música do Stênio mostra que Pedro, baseado na narrativa de Lucas(5.5), cheio de certezas de alguém que ja nasceu na beira do mar, sempre pescando por ser ele filho de pescador. E a música mostra Jesus, filho de um carpinteiro, dizendo: "Filho de pescador eu nasci e aqui me criei, conheço o mar há tempo que ja nem me lembro mais, trabalhei noite inteira, e nada foi tudo que ganhei, e agora vens, queres me ensinar aquilo que na verdade eu mais sei."

No relato bíblico, Pedro, cheio de certezas e confiança, age da mesma forma quando Jesus o avisa de sua traição na ocasião da prisão de Jesus, disse também o Senhor: "Simão, Simão, eis que Satanás vos pediu para vos cirandar como trigo, mas eu roguei por ti, para qua a tua fé não desfaleça, eu tu, quanto te converteres confirma teus irmãos, E ele lhe disse: Senhor estou pronto a ir contigo até a prisão e á morte."(Lc 22.31-33)

Nos dois relatos acima, vemos a confiança de um pecador nele mesmo ante a Palavra do Mestre. No primeiro caso este pecador pensava entender daquilo que ele não criou, no segundo caso ele pensava entender sobre si mesmo, como num famoso dito popular: "eu me conheço, sei até onde posso ir." O problema não é ser confiante, mas quando a confiança é um orgulho torna-se pecado. Portanto, quando Pedro não confia nas Palavra do Senhor Jesus, ele peca. Um dos sinais da graça de Deus na vida de um pecador regenerado que age desta maneira é o fato do Espirito Santo fazer lembrar daquilo que Jesus disse.(Jo 14.26)

Remorso produz morte, mas arrependimento produz vida, Como por exemplo, o caso de Pedro e Judas, os dois foram avisados que eles iriam trair a Jesus, eles trairam, porém, um se arrepende e o outro sente remorso, um se enforca, o outro chora amargamente e se volta para o mestre, Jesus tinha dito que escolheu doze e um deles era o diabo.(Jo 6.70). Essa escolha de Deus em preservar um e outro não, não é baseado no que fizeram, pois os dois negaram a Cristo, os dois pecaram. Mas a escolha que Deus ja havia feito foi baseada em suas proprias vontades.

Diante disso, vemos que as nossas certezas (orgulho) não são nada diante da graça de Deus, pois se nós não confiarmos naquilo que a Bíblia Sagrada nos diz, estaremos sendo arrogantes, confiando em nós mesmos, agindo como deuses e senhores. Mas Deus por sua infinita graça quebra esse nosso orgulho mediante as tentações que nos fazem ficar mais dependentes DELE, mostrando que não somos absolutamente nada.

Toda Glória e Honra pertencem a DEUS.

 





Disseminando | Sua fé sem fronteiras.